Saltar ligações
Descarbonização e o caminho para zero emissões

Descarbonização e o caminho para zero emissões

Descarbonização é o processo de remover ou reduzir as emissões de carbono produzidas pelo ser humano com o objetivo de atingir zero emissões. Essencialmente trata-se de um processo de substituição de combustíveis fósseis, que contêm grandes quantidades de carbono na sua composição (carvão, gás e petróleo), por combustíveis amigos do ambiente e provenientes de fontes renováveis (energia eólica, solar, hidrogénio verde, …).

O Acordo de Paris de 2015 visa reduzir em, pelo menos, 55% as emissões provenientes da EU até 2030, com o compromisso de atingir a neutralidade em 2050 e fazer da Europa a primeira economia com impacto neutro, o que significa que daqui a 28 anos os vetores energéticos deverão estar totalmente descarbonizados.

Esta neutralidade carbónica poderá ser atingida 1) através do balanço entre as emissões e absorções de carbono ocorridas através de reservatórios naturais (solos, oceanos e florestas) ou 2) eliminando totalmente as emissões de CO2.

Para uma empresa se tornar neutra em carbono terá que reduzir drasticamente o seu output, o que poderá não ser realista, pelo menos a médio prazo, ou equilibrar as suas emissões através da compra de créditos de carbono.

Esta transição ecológica, para além de ter impacto nos custos a curto prazo, desempenha um papel fundamental na estratégia da Wellow™ Group a médio/longo prazo, quer a nível ambiental – através da adoção de práticas mais verdes como a instalação de painéis solares em algumas das nossas instalações, digitalização de processos, eletrificação da frota automóvel, …, quer a nível social – através da criação de mais oportunidades de emprego, melhoria da imagem do grupo pela preocupação em diminuir a pegada carbónica assim como a nível económico – através de novas oportunidades de negócio.

Para que a estratégia seja bem sucedida, é fundamental medir e monitorizar as emissões de CO2, classificadas de acordo com o protocolo GHG (Greenhouse Gas Control), em Scope 1 (emissões emitidas para a atmosfera como resultado direto das operações), Scope 2 (emissões indiretas provenientes da energia elétrica adquirida) e Scope 3 (todas as outras emissões indiretas que ocorrem na cadeia de valor da empresa, como matéria-prima adquirida, viagens de negócios e deslocamento de colaboradores/as, …).

No caso específico da Wellow™ Group, o maior impacte ambiental deve-se sobretudo às emissões de gases de efeito de estufa (GEE), provenientes da frota automóvel (Scope 1). Desde 2021 que temos em curso um plano de eletrificação gradual do parque automóvel, que no final de 2022 chegará a 20%.

O facto de, ao dia de hoje, comprarmos 100% eletricidade verde para a nossa atividade, conseguimos reduzir bastante a nossa pegada carbónica assim como praticamente anular as emissões anuais de Scope 2.

As emissões associadas ao Scope 3 são as mais difíceis de se contabilizar (transporte de colaboradores/as, produção de desperdício, compras de bens e serviços e por aí fora) mas estamos conscientes e frequentemente lançamos ações de sensibilização com vista à redução destas emissões (carpooling e reciclagem, por exemplo).

2050 poderá soar distante e os objetivos a atingir impossíveis, mas nós na Wellow™ Group, em matéria de gestão energética e carbónica, acreditamos que mais do que adaptarmo-nos às exigências legais e regulatórias, temos um compromisso com o planeta e com as gerações vindouras.

Para nós a emergência é clara e total e já começamos a percorrer o caminho com vista a amenizar ou eliminar o nosso impacto. Afinal, 2050 está aí. 

Por João Farinha | Chief Executive Officer Wellow™ Rent & Drive